sexta-feira, 25 de abril de 2008

Efeito placebo



A semana começou preguiçosa, com uma daquelas segundas-feiras que se segue a feriados prolongados e que ninguém quer que chegue. Apesar do começo arrastado, a semana trouxe para mim uma grande novidade: sem cerimônias pomposas ou convites formais, recebi a chave da cidade, que me foi entregue pela cidadã mais ilustre desta capital, a Sra. Délhi belly*!

Sim, o ritual de iniciação de todo estrangeiro começou para mim domingo passado e seguiu semana adentro. Ou melhor, banheiro adentro. Passei a semana de molho no hotel, numa espécie de confinamento contemplativo por que todo estrangeiro tem de passar, para ter certeza de que quer mesmo viver por aqui... E comer por aqui.

Foram dias de pepto-zil na veia, de aspirina C para diminuir a febre, de antibióticos e de medicina ayurvédica. O remédio mais amargo, contudo, foi a exposição intensiva à televisão indiana, que, inevitavelmente, tive de enfrentar. Confesso que, no final da minha quarentena de sete dias, não sabia mais o que tinha sido pior: ter ficado doente ou ter de assistir à televisão. Acabei viciado no canal punjabi, que transmite cantos sikhs direto do Golden Temple.

Na quarta-feira, ainda desidratado e com dor de cabeça (mas já bem melhor), terminei buscando o auxílio profissional de um médico que conheci por coincidência na recepção do hotel: Dr. Pabrai. Do alto de seus 56 anos de idade, Dr. Prabai usava uma peruquinha marota para esconder a careca da meia-idade (mas que lhe dava a autoconfiança necessária para competir com o Dr. Vora, o outro médico do hotel, que já tinha 80 anos). Carregava também consigo uma pasta 007, que parecia ser do tempo do Sean Connery. Dr. Prabai recomendou-me dois antibióticos, que tomei a contragosto. Recomendou-me também dois livros, que, se comprar, comprarei a contragosto. Mas comi com gosto as quatro bananas com açúcar que ele pediu para o hotel me trazer. Obrigado, Dr. Prabai. Já me sinto melhor!

* Delhi belly (o mal de Montezuma local) é a severa dor de barriga que acomete a todos os estrangeiros que se aventuram por aqui. Funciona como um verdadeiro rito de passagem.

PS 1: Algumas fotos para ilustrar a história acima:
http://picasaweb.google.com/paletodelinho/EfeitoPlacedo

PS2: 10 segundinhos do canal sikh para vocês:


video

6 comentários:

Tatiana disse...

E como foram seus dias de férias? assim, logo quando saiu do Brasil, logo quandos nos despedimos e vc lá com o chapéu Panamá... um grande abraço e Dudu te manda outro!

maricouceiro disse...

Namaste, q bom q esta melhor primo. Nao eh nada bom ficar doente fora do nosso pais. Eu tb passei por uma experiencia dessas na India. Depois de quase dois meses que cheguei ao pais conheci Mangalore belly :-)! No meu caso o medico veio ao hotel acompanhado de duas enfermeiras. Isso lembro que achei engracado. Enfim, agora o negocio eh vc cuidar da alimentacao o maximo possivel. Acho q vou a Beijing na quinta. Nao quer vir nao? Um beijo grande e se cuida ai!

Mauro disse...

O bom desse canal de TV é que vc vê dois segundos e dorme, pq já viu tudo (he, he,he,rs)
Bjs
Pai e Mãe

Cesar disse...

Fratello mio!
Doença sim, mas nada além do esperado, né?!

Achei que vc fez muito bem em manter-se longe de Drs. Mongas da vida, hehehe

Agora, se esse foi o melhor canal de TV que vc achou, realmente não sei o que esperar dos demais...

grande abraço!

bia disse...

Oi querido, estamos com muitas saudades! Que perrengue, hein?
bjs
Bia e família

Lúcia Helena disse...

Flavio, um amigo de seu pai e grande amigo meu também, havia me falado sobre o quanto seu blog é inteligente e divertido..., estou constatando isso, mas desculpe-me, desliguei a tv rsrs, nem precisei dos dez segundos para saber o quê não gostaria de ver...Abraço!