quarta-feira, 28 de maio de 2008

Mulheres de Puri


Cecília Meireles foi, talvez, a primeira poetisa brasileira a vir à Índia e deixar este país inspirar sua poesia. O poema que trascrevi abaixo tem estado bastante presente no meu trabalho recentemente, de forma que creio valer a pena registrá-lo em meu blog para que não se perca numa gaveta qualquer.

***

Mulheres de Puri

Quando as estradas ficarem prontas,
mulheres de Puri
alguém se lembrará de vossos vultos azuis
entre os templos e o mar.


Alguém se lembrará de vosso corpo agachado,
deusas negras de castos peitos nus,
de vossas delgadas mãos a amontoarem pedras
para a construção dos caminhos.

Quando as estradas ficarem prontas,
mulheres de Puri,
alguém se lembrará que está passeando sobre a sombra
de vossos calmos vultos azuis e negros.

Alguém se lembrará de vossos pés diligentes,
com pulseiras de prata clara.
Alguém amará, por vossa causa, o chão de pedra.

E vossos netos falarão de vós,
mulheres de Puri,
como de ídolos complacentes,
benfeitores e anônimos,

e entre os ídolos ficareis, inacreditáveis,
mudas, negras e azuis.

(Cecília Meireles)

3 comentários:

Alguma aldeota disse...

Ah Cecília Meireles...

Sempre tecendo vidas com suas belas palavras...

Lindo poema!

Flavia Helena disse...

Flavio, indicado por um grande amigo, estou vendo seu blog...
Adorei! Sensível e agradável..., e apesar do imenso calor em que você se encontra, consegue transmitir leveza e frescor...E só calor da alma, falando nela, esse bonito poema demonstra sua força, independentemente de época ou lugar...Quando é tudo o que se espera dela. Parabéns! Abraço!

Tatiana disse...

Estou percebendo que este blog está tomandouma outra dimensão... um blog mais poético, mais harmonioso... Ta ai, uma nova profissão, p q vc não escreve uma coluna em alguma revista virtual ou sei lá o q.... beijosss