segunda-feira, 22 de junho de 2009

Só para postar alguma coisa...


Nuvens, nuvens que passam. Céu claro, nuvens abaixo. Nuvens que passam. O tempo que corre com as nuvens. E o céu ainda azul e intocado, apesar das nuvens que passam abaixo. Nada mudou.

Quilômetros de terra, de mar. Atravessando continentes, atravessando culturas. Turbulências, calmarias. Assim também a vida, o tempo, o espaço. Será que de fato viajamos? Ou será tudo um jogo? Um jogo da consciência? Só Deus sabe...

Fuso horário. O espaço para de correr, mas o tempo continua. A viagem, do ponto de vista do tempo, só termina uma semana depois. Curiosa essa desconjuntura, esse descolamento. Uma dessas viagens faz-se de avião, a outra, de cama, dormindo, sonhando.

Mas tudo isso já foi, e aqui estou eu de novo. Namastê, namaskar. O que sobrou? Uma geleia geral. Tropicalizei a Índia em mim.

Acho que agora só metáforas. Cansei das análises antropológicas, sociológicas, morfosintáticas. Será, daqui por diante, uma análise “Mytzuplik”, que não se sustenta, caso se a vire do avesso.
Saudações!

3 comentários:

Malu disse...

Muito bom! Adorei!

Bem-vindo de volta! Estávamos todos saudosos.

Vamos, então, agora às "metáforas", às "análises Mytzuplik" ! Estams ansiosos para ver o que vem por aí!!!

Bj gde

Tatiana disse...

Ei Flávio, estou em dia com seu mundinho virtual! Namastê!
A viagem se estende dentro de nós... dentro de um espaço de tempo, dentro de um começo ou de um fim! Esse negócio de estabelecer tempo tb nunca foi minha praia, prefiro aceitar o infinito, mas se for comprovado, me levará ao desvario! :)
Um grande abraço e que suas inspirações estejam carregadas de emoções do seu dia a dia metafórico
bjs Tati e Dudu

Cláudia disse...

o mesmo ceu , o mesmo sol , a mesma lua . rio de janeiro ou dheli ...e nos tambem somos os mesmos , onde quer que vivamos. namaste flavio
so o samba nao e igual por ai ...